domingo, 22 de agosto de 2010

num verão ou num amor.



Na vastidão imensa e escura dessa noite, ao longe ouço Renato Russo cantando algo que eu adoro. E como todas as canções de amor, essa também me lembra você. Você me veio como um sonho bom, e me assustei. Não sou perfeito. Tenho estado pleno durante o dia, e saudoso à noite. Vivo a intensidade de cada momento, para que quando passe, algo fique e alimente a nostalgia de sempre. Trago a falta dos amigos e lugares em que sou e estive.

A música acaba e o silêncio é oportuno para que eu tente organizar a mente e os pensamentos. Pego essa idéia e jogo no lixo. Penso em talvez tomar um banho, e deixar que as lágrimas corram ralo abaixo. Esta frio sem você. Acendo um incenso de lavanda – se não me trouxer amor, pureza e dinheiro, deixa a casa perfumada – abro um vinho, me aqueço de lembranças sólidas. Eu só queria me despir num verão ou num amor. Mas me aqueço. De lembranças sólidas. Ou não.

4 comentários:

  1. oi vii amei como sempre escrevendo coisas lindissimas ao coração bjus

    ResponderExcluir
  2. Ai que dor no peitooo...
    Sabe quando uma coisa toca tão profundamente a gente que chegar a doer??
    Pois é!!!
    Aqui estou de novo, boba e derretida, ouvindo a mesma música, cm se estivesse vendo vc de longe, bobo e derretido tb! Senti até o cheio de lavanda, mas confesso que espirrei, pq tenho alergia a incenso, rsrs...

    Olhe irmão pare de ser lindo rey, não te digo mas nada!
    2 altos vou fzr greve de comentários, será que consigo?rsrs...
    Bjos!

    ResponderExcluir
  3. E eu que antes sublinhava trechos bonitos ao coração das Clarices, Drumonds e Quintanas, hoje me pego guardando frases suas dentro da alma.

    As coisas mais lindas. Como sempre, a sintonia sempre bela e máxima.

    TE AMO!

    ResponderExcluir
  4. eu gosto do silêncio. tenho notado, contudo, que ele é constrangedor a muita gente.

    ResponderExcluir